CONFRARIA TIMBU DE OURO COMEMORA OS 15 ANOS DA REFORMA DOS AFLITOS

Para lembrar os 15 anos da conclusão das obras de ampliação do estádio dos Aflitos (2002) e os 116 anos do Náutico a Confraria Timbu de Ouro promove almoço de adesão (R$ 34,90) no Restaurante Boi e Brasa (Antigo Cassino Americano), Pina, sexta-feira (07), a partir do meio-dia. O grupo, que existe desde 1998, participou ativamente da reforma e defende a volta dos jogos do Timbu no velho “Caldeirão dos Aflitos”.

Durante o evento o arquiteto Múcio Jucá – profissional escolhido pela Comissão Paritária do clube para coordenar as obras de requalificação do estádio dos Aflitos – apresentará palestra sobre as intervenções que serão realizadas para a readequação do Eládio de Barros Carvalho e consequente volta dos jogos oficiais naquela praça de esportes. Jucá é especialista na construção de estádios de futebol e já executou projetos de arenas em vários países, principalmente na Europa.

O presidente de honra da Confraria, Raphael Gazzaneo, explicou a motivação do almoço, que pretende reunir cerca de 500 pessoas. “A data é importante porque hoje vivenciamos um momento semelhante àquele período, quando estávamos experimentando uma espécie de “renascimento” do Náutico após muitas dificuldades. Atualmente o nosso maior objetivo é voltar ao velho “Caldeirão dos Aflitos” e resgatar a nossa identidade, a nossa torcida e converter estes esforços na conquista de títulos”, afirmou.

Ele informou que durante o almoço serão prestadas homenagens a ex-presidentes do clube e outras personalidades que contribuíram para a reforma do estádio. “Vamos homenagear pessoas que foram determinantes na reforma. O estádio ameaçava desmoronar e junto com alvirrubros de todos os recantos do Brasil capitaneamos esforços para que através de um grande mutirão a gente conseguisse realizar a ampliação”, lembrou.

Gazzaneo acrescentou que além de reverenciar os líderes do passado a Confraria pretende lançar em breve ações de marketing a fim de promover um maior envolvimento dos jovens. “Nossa geração teve uma participação importante nas ações que resultaram nos títulos de 2001, 2002 e 2004. Hoje queremos colocar a juventude dentro do grupo para que os meninos também possam contribuir com ideias e ações em prol do nosso Náutico. Sabemos que a situação atual requer de nós um esforço para que haja um movimento de união de todos”, analisou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *