NOVO CALDEIRÃO DOS AFLITOS VAI SER MODERNO E MAIS QUENTE

Durante o almoço da Confraria Timbu de Ouro na tarde de hoje (07), o arquiteto Múcio Jucá fez uma explanação sobre a requalificação do estádio, abordando sua evolução desde os anos 1920 até a atualidade. Muitos dos presentes se emocionaram com imagens dos primeiros registros fotográficos do estádio, ainda rodeado de fruteiras ou com o público assistindo aos jogos praticamente dentro das quatro linhas.

Sobre a necessária reforma atual ele garantiu que ela vai manter a característica de “caldeirão” do estádio. “Isto foi pensado quando aproximamos a torcida do gramado na intervenção que realizamos em 2002 e será mantido. É o diferencial dos Aflitos que faz dele um caldeirão”, comentou.

Em relação à segurança, o arquiteto afirmou que o equipamento terá novas e mais amplas saídas a fim de atender exigência da Fifa para que públicos acima de 20 mil expectadores deixem as arquibancadas em até oito minutos. “Nesta versão atual teremos um estádio mais confortável e adequado às normas de segurança internacionais”, afirmou.

De acordo com ele, serão necessários entre R$ 4 e R$ 6 milhões para recuperar e implementar as reformas que o estádio precisa. “A estrutura foi abandonada, mas temos condições de voltar. É uma necessidade do clube. A Arena se mostrou desde o início um projeto inviável, longe de tudo. É o estádio mais longe do mundo. Ao irmos para lá perdemos a nossa identidade. Somos zona norte. Somos do Recife”, criticou.

O arquiteto Múcio Jucá foi escolhido pela Comissão Paritária do clube para coordenar as obras de requalificação do estádio dos Aflitos por se tratar de um profissional com grande experiência e reconhecimento em sua área de atuação. Ele é especialista na construção de estádios de futebol e já executou projetos de arenas em vários países, principalmente na Europa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *