SÉRIE C: 20 ANOS DEPOIS A HISTÓRIA SE REPETE (Parte II)

A reunião das mais diversas cabeças e o conjunto de ideias gerado a partir dos grupos de discussão foi na verdade o pontapé inicial para a convergência de toda aquela sinergia que estava dispersa. Havíamos batido “na trave” duas vezes para voltar à Série A – ficando em terceiro lugar quando só havia duas vagas – o Estádio dos Aflitos teve o maior público de sua história com 34 mil pessoas no jogo contra o América Mineiro. Aflitos sempre cheio. Eram sinais do renascimento do clube.

Tudo isso culminou com a história que já conhecemos: A cidade foi tomada por vermelho e branco, os carros com bandeiras, o time foi Campeão do Centenário, 11 dias de festa. O clube que estava no fundo do poço se transformou em um exemplo no Brasil. Mobilizado, coeso e unido.

Fomos bicampeões (2003 e 2004) e em 2004 aquela epopeia no Arruda com uma vitória por 3 X 0 contra o Santa Cruz num jogo onde poucos acreditavam na possibilidade de reverter a vantagem que o tricolor havia conquistado dentro dos Aflitos.

Após a trágica Batalha dos Aflitos nos refizemos e voltamos à Série A no ano seguinte. Mais uma prova da nossa capacidade de reconstrução. Infelizmente as gestões que se sucederam nos levaram à situação em que estamos hoje, como passivos astronômicos que praticamente estão inviabilizando o clube.

Mas há saídas. Somos fortes. Temos que acreditar nisso mais uma vez. A história recente nos mostra isso. E esta passagem pela Terceira Divisão certamente não deve servir de desânimo, mas nos fortalecer para encararmos a situação como um “efeito pedagógico” dos erros cometidos nos últimos anos a fim de projetarmos o Náutico do Futuro. Sem salvadores da pátria, sem vaidades, mas novamente JUNTOS!!!!

(Continua amanhã)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *