TRISTE FIM DA GESTÃO MARCOS FREITAS/IVAN BRONDI

Estamos no segundo ano da administração Marcos Freitas/Ivan Brondi e a gestão continua assistindo passivamente ao naufrágio do nosso Clube Náutico Capibaribe. Restando apenas mais um semestre para o final do mandato qual o balanço que sócios, torcedores e aqueles que realmente amam o Náutico podem fazer? ? ? Infelizmente é lamentável meus amigos. Triste a situação em que nos colocaram.

Aqui não vai nenhuma crítica ou avaliação no campo pessoal. Mas vamos falar de mais uma gestão que não ganhou nada nos últimos dois anos e cometeu os erros mais primários na administração de um clube de futebol importante como o Náutico.

Em 2016: Não ganhou nada, atrasou o Profut – sempre por dois meses -, não recolheu o valor fiscal e previdenciário de boa parte do exercício (deixando como passivo), terminou o ano com novos débitos trabalhistas e salários de funcionários e jogadores atrasados. Não fez nada para a volta aos AFLITOS e deixou de cumprir acordos com a 12ª Vara do Trabalho. Fez umas das mais altas folhas do clube numa série B e antecipou receitas de outros exercícios.

Em 2017: Não ganhou nada, aumentou ainda mais o passivo trabalhista, perdeu a vaga do Campeonato do Nordeste 2018, e está na iminência de levar o clube para a Série C, fazendo a pior campanha da História do Náutico nessa competição. O que se sabe também é que o Centro de Treinamento e o hotel estão em péssimas condições e há dificuldades na garagem do remo.

LAMBANÇAS – O balanço financeiro publicado nos jornais (obrigatório até o dia 30 de abril) foi mais um absurdo administrativo, pois não foi apresentado oficialmente ao Conselho Deliberativo. Ou seja; o Conselho Fiscal não o recebeu, não tendo condições técnicas para aprovação. As informações são contraditórias. Fora dos parâmetros técnicos.

O sonho da torcida de voltar aos Aflitos também não conta com a “boa vontade” da atual gestão Marcos/Ivan. Tanto que o Executivo tem a intenção de assinar um novo contrato com a Arena por três anos, mostrando claramente que não quer voltar à nossa Casa.

Diante desse quadro extremo qual seria o papel de um Presidente com o mínimo de amor ao clube, responsabilidade, bom senso e inteligência? Renunciaria ou promoveria uma grande convocação a todos ALVIRRUBROS para um mutirão no intuito de encontrar o caminho para salvar o Clube. Humildade é preciso neste momento de dificuldades!!!

O Tempo urge Presidente. NÃO ERRE POR OMISSÃO!!! ERRE TENTANDO FAZER ALGUMA COISA!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *